Torneio de tiro testa habilidade de servidores da segurança

12/03/2017 17:06

 

A agilidade, habilidade e precisão dos profissionais da Segurança Pública foram testados neste sábado (11.03), no 3º Torneio de Tiro, realizado pelo Grupo Especial de Segurança na Fronteira (Gefron). A competição faz parte dos eventos em comemoração aos 15 anos de atuação da unidade na região de fronteira entre o Mato Grosso e a Bolívia.

A prova  foi realizada no estande de tiro do 2º Batalhão de Fronteira do Exército Brasileiro, em Cáceres e contou com a participação de mais de 40 atiradores, além de amigos e familiares. Os competidores percorreram uma pista dinâmica, com obstáculos e alvos e tiveram que manusear três tipos de armas: pistola, submetralhadora calibre 12 e fuzil semi-automático.

“Os profissionais interagiram com a pista fazendo uso de todas as armas e deixando-as em condições segura depois de usá-las”, explicou o range officer pela Confederação Brasileira de Tiro, Paulo Delfino.  

A disputa foi acirrada entre os profissionais da Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Corpo de Bombeiros, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Gefron e Exército Brasileiro, durante às cinco horas de prova.

O oficial de operações do Gefron, major PM Willyan Becker DeMartins, foi o competidor que mais levou troféus para casa. O militar venceu nas provas individual, individual Gefron e equipe Gefron, na qual disputou junto com o soldado PM Cristiano Konzen.

“A competição, além de reunir as instituições para troca experiências, também serviu para estreitar a relação entre os profissionais das unidades”, disse major PM Becker, que está há aproximadamente três anos atuando no Gefron.

Na prova em equipe, a Polícia Federal ficou em primeiro. Um dos integrantes da equipe vencedora, o agente da Polícia Federal, Elthon de Aguiar Pastorello, disse que foi uma satisfação competir no torneio. “É muita satisfação ser convidado”, declarou.

O comandante do Gefron, tenente-coronel PM Jonildo de Assis, disse que a unidade foi um projeto, iniciado em 2002, que deu certo e que se tornou, dentro da região de fronteira,um seguimento da parte policial de muita relevância. “Nestes 15 anos houve um amadurecimento e fatores que fizeram que o nosso serviço fosse aprimorado e exportado para outras unidades federativas do Brasil”, disse.

O secretário de Segurança Pública, Rogers Jarbas,  disse que o Gefron ofereceu mais dignidade as comunidades da região de fronteira por meio do trabalho relizado em 15 anos. “O Gefron, junto com as unidades de segurança que também atuam na fronteira, possibilitou à população da região uma vida mais digna”.

As comemorações pelos 15 anos de atuação do Gefron continuam na próxima terça-feira (14.03), com a entrega da medalha de mérito de policial de fronteira, no salão nobre Cloves Vettorato, no Palácio Paiaguás em Cuiabá, para homenagear membros da sociedade civil, policiais e líderes de instituições parceiras.

 

 

Fonte: Sesp-MT