Ex-escrava será primeira mulher a ilustrar nota de dólar nos EUA

22/04/2016 11:00

Pela primeira vez em mais de um século, uma mulher vai estampar uma nota de dólar. Mas, tão importante quanto quebrar o tabu de desbancar a hegemonia dos homens de ilustrar o dinheiro norte-americano, é que a personagem escolhida para este feito é Harriet Tubman, ilustre personalidade da luta contra a escravidão nos Estados Unidos, negra e ex-escrava.

Tubman vai substituir o ex-presidente norte-americano Andrew Jackson na nota de 20 dólares. O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Jack Lew, foi quem fez o anúncio nesta quarta-feira (20).

Harriet Tubman nasceu nos anos 1820. Mas, como a maior parte dos escravos, a data exata e seu local de nascimento são desconhecidos. Ela conseguiu fugir em 1849, deixando o Estado de Maryland para morar na Pensilvânia.

Em liberdade, ela começou a ajudar outros escravos, organizando grupos de resgate. Durante a Guerra Civil norte-americana (1861-1865), atuou com o exército da União, inclusive como espiã. Sua inteligência e coragem, além de seu forte caráter, lhe permitiram salvar a vida de muitas pessoas, atos pelos quais se tornou célebre e um símbolo nos Estados Unidos.

Tubman morreu em 1913, aos 91 anos. O mais irônico de substituir Jackson no bilhete de 20 dólares é que o ex-presidente, que governou o país entre 1829 e 1837, era um proprietário de escravos.

Pressão para estampar notas com mulheres

Com a homenagem à Tubman, colocou-se um ponto final nas pressões para que o Departamento do Tesouro incluísse uma mulher entre as personalidades estampadas nas notas de dólar.

Antes de bater o martelo, o governo lançou uma enorme campanha de consultas para conhecer os nomes favoritos. Entre as finalistas se destacaram Eleanor Roosevelt, feminista e defensora dos direitos humanos, e a legendária líder da luta contra a segregação racial, Rosa Parks. Junto com a decisão de homenagear Tubman, as autoridades anunciaram que vão manter o fundador do Departamento do Tesouro, Alexander Hamilton, na cédula de 10 dólares.

A pré-candidata democrata à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, elogiou a escolha de Tubman. "Uma mulher, líder e uma pessoa que lutou pela liberdade. Não posso imaginar uma escolha melhor!", disse a ex-secretária de Estado norte-americana.

Mas, de acordo com a imprensa do país, a impressão das novas notas de 20 dólares, já com a imagem de Tubman, dificilmente ocorrerá antes do ano de 2030.

 

Fonte: RFI